sábado, 10 de abril de 2021

Prefeito Gustavo Soares veta projeto de lei aprovado no legislativo para inclusão de nutricionistas nas equipes das UBSs

O projeto de lei aprovado na Câmara Municipal do Assú que autoriza o poder executivo a incluir profissionais de Nutrição nas equipes multiprofissionais lotadas nas Unidades Básicas de Saúde do município, foi vetado pelo prefeito Gustavo Montenegro Soares.

A matéria aprovada em março é de autoria da vereadora Maria Elisangela Albano (PL).




8 comentários:

  1. Primeiro politicamente é revelado uma dissonância entre a Vereadora e os SOARES; lembrando que a Vereadora sempre esteve do lado dos mesmos. Segundo, o veto mostra apenas que o POVO DE ASSÚ não merece ter profissional de NUTRIÇÃO acompanhando-os! Causa estranheza essas últimas notícias de uma política de austeridade em desfavor dos menos favorecidos: “CANCELAMENTO DE ENTREGA DE PEIXES”, não apenas na semana santa, mas sobretudo no momento de pandemia que vivemos! “VETO DE ACOMPANHAMENTO NUTRICIONAL” nas UBS. Onde está FABIELE que antes era a ROSA e que sempre esteve ao lado dos menos favorecidos! Quantas e quantas mais ações negativas esse governo fará para o povo de Assu? TEMHAM AO MENOS MISERICÓRDIA DO POVO, já que não se colocam no lugar dos mesmos!

    ResponderExcluir
  2. Período de campanha já passou. Todo eleitor sabe que é dessa forma e conhece a forma que os Soares trabalha.

    Maria Clara Lopes da Fonseca.

    ResponderExcluir
  3. Para quem não conhece a legislação e como funciona o SUS, vamos de informação.
    Uma equipe de Estratégia em Saúde da família e/ou uma equipe de unidade Básica de saúde (UBS) mais conhecido como postinho de saúde. Tem por sua obrigação e recebe recursos para tal, ter como membros da equipe Médico, enfermeiro, Agentes comunitários de saúde, dentista e Auxiliar de saúde bucal. Os demais profissionais, são considerados equipes de matriciamento ou de apoio às equipes. Portanto, não há necessidade nem recurso destinado para manter 1 nutricionista em cada equipe de UBS. Porém, a população deve ter acesso a equipes multiprofissionais, tais como o nutricionista, de forma a garantir o cuidado integral a sua saúde. Tal acesso pode ser feito em caráter ambulatorial, no centro clínico, que disponibiliza de nutricionista.

    Um abraço, Gustavo.

    ResponderExcluir
  4. Aaah, e só pra não esquecer.
    Nota-se o despreparo dos vereadores quando trata-se de SUS, pois ao aprovar/sugerir tal matéria demonstram que pouco sabem (para não dizer nada) como funciona o SUS. De nada adianta aprovar que precisa ter um nutricionista em cada equipe se não tem recurso para manter tal profissional.

    Um novo abraço, Gustavo.

    ResponderExcluir
  5. Pelo visto a INCOMPETÊNCIA inicia na própria casa legislativa, que em sua maioria é formada pelos edis ligados ao Prefeito. No mais os vereadores não tem o dever de conhecimento legal sobre o assunto, para isso tem as assessorias e consultorias! Diante disso, tai! Deram com os burros na água! Enquanto isso o POVO PADECE!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vereadores não tem o dever de conhecer sobre o assunto?
      Meu amigo, vereador tem sim que conhecer pelo menos o básico do que compete uma administração pública.
      E não sei você, mas o que eu não conheço eu não me intrometo.

      Gustavo

      Excluir
  6. Olá Gustavo!

    Quero concordar em partes com sua fala, realmente grande parte do colegiado é despreparado e é notório isso, mas o pior é a subserviência da câmara a prefeitura uma vez que os poderes deveriam ser independentes!

    Sobre ter acesso as equipes multiprofissionais seria fantástico se o recurso do NAFS não tivesse sido prejudicado em 2020!

    O SUS é fantástico, mas precisamos dar efetividade e celeridade as práticas de prevenção, caso o município não pudesse implementar um profissional nutricionista em cada unidade poderia ao menos criar uma equipe para ser itinerante nas unidades, pelo meu conhecimento tínhamos apenas um nutricionista lotado no centro clínico pra cerca de 58 mil habitantes.

    Outro fato, que o SUS trás um norte o mínimo de uma equipe isso não impede do município fortalecer sua estratégia de atenção básica principalmente pensando na prevenção do surgimento e agravos de doenças crônicas não transmissíveis! O Brasil vai sair com essa lição da pandemia !

    Por falar em prevenção, é preciso observar o que pesquisas apontam a presença de comorbidades e em especial OBESIDADE em pacientes com COVID houve uma maior taxa de mortalidade desses pacientes, ou seja precisamos ampliar urgentemente a prevenção desse distúrbio nutricional que acomete o país como um todo!

    Parabéns por sua fala, mas sem dúvidas o fortalecimento das equipes é fundamental!

    Paulinho Do Acredito
    @paulinhodoacredito

    Ref:
    https://www.sbcbm.org.br/obesidade-aumenta-em-48-o-risco-de-morte-por-covid-19/

    https://www.conasems.org.br/wp-content/uploads/2020/01/NT-NASF-AB-e-Previne-Brasil-1.pdf

    ResponderExcluir
  7. Olá, Paulinho do Acredito!

    Ótimo ponto, concordo que o SUS tem tudo para ser fantástico. Porém, discordo com você sobre a criação de equipes itinerantes nas unidades, visto que, como você mesmo citou, em 2020 o SUS sofreu grandes mudanças em relação ao orçamento. Dentre elas, uma das mais afetadas foi o NASF, que possui justamente essa função de matriciamento e suporte as UBS. Então, veja meu pensamento: não tenho verba para bancar equipes "extras", digamos assim, portanto é muito mais efetivo ofertar o atendimento das equipes multiprofissionais de forma distintas de acordo com a necessidade da população.

    Veja, temos centro especifico para reabilitação motora (fisioterapia) que é uma das categorias que pertence aos serviços "adicionais". Então, é muito mais prático, efetivo e, do ponto de vista econômico, aplicável termos no centro clinico profissional da nutrição que dê apoio a rede municipal de saúde. E, urge, a necessidade de que o número de profissionais seja o suficiente para suportar a demanda, se a rede necessita em média de 30 atendimentos por mês (valor ficticio) não vejo necessidade de mais de 01 nutricionista para suprir essa demanda. Complemento ainda que não estou desvalorizando o trabalho de ninguém, estou apenas sendo técnico e objetivo. Até porque se em Assu tiver 2 nutricionistas, por exemplo, e tiver 30 atendimentos por mês teremos 15 atendimentos por nutricionista. O que vai ter de birrento politico falando que a secretaria de saúde/prefeitura contratou nutricionista para não fazer nada ou atender 1x por semana, não cabe dentro do buraco do prefeito.

    Não sei se é uma dificuldade apenas minha... Mas você consegue ter acesso aos projetos de leis da nossa câmara de vereadores? No site oficial só consta projetos de 2017, exatamente de 4 anos atrás! Se você ou o próprio Samuel, souber como que eu tenho acesso aos projetos de lei que são votados e aprovados, com detalhamento de votos, por favor me informem.

    Baseado nessa dificuldade, só fiquei sabendo desse projeto através do blog e a única informação adicional que consegui achar sobre o mesmo, vem justamente da publicação do diário oficial, onde o prefeito explica o veto.

    Precisamos ser menos birrentos políticos e mais efetivos nas discussões. Parabéns pela imparcialidade, Paulinho.

    Gustavo,

    ResponderExcluir

Os comentários postados representam a opinião do leitor e não necessariamente do RSJ. Toda responsabilidade do comentário é do autor do mesmo. Colocar nome no comentário para que o mesmo seja liberado. Ofensas não serão permitidas.