quinta-feira, 7 de outubro de 2021

Polícia Civil no RN: da teoria à prática

Na Assembleia Legislativa do RN parlamentares pedem para que o governo implante delegacia especializada para tratar dos crimes de racismo e intolerância religiosa e de novas delegacias especializadas de atendimento às mulheres. Querem também que seja priorizada a destinação de servidoras mulheres para que integrem os quadros dessas delegacias especializadas.

Esse cenário acima é na teoria dos parlamentares.

Na prática o cenário é outro. É uma realidade preocupante com o baixo efetivo da Polícia Civil do RN.

E isso é fácil de comprovar. Um exemplo: uma escrivã e um agente da Delegacia de Polícia de Assú foram designados para atuar cumulativamente na Delegacia de Polícia Civil de São Rafael. Ou seja, não tem efetivo suficiente nem para as demandas atuais.

Não adianta ficar criando novas demandas enquanto não for aumentado o efetivo. Essa é a realidade.


Parceiro anunciante


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários postados representam a opinião do leitor e não necessariamente do RSJ. Toda responsabilidade do comentário é do autor do mesmo. Sugerimos colocar nome no comentário para que o mesmo seja liberado. Ofensas não serão permitidas.