sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Rogério Marinho topa o sacrifício de substituir Guedes, diz Ricardo Noblat

Do Blog do Noblat

Não contem com Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, para ministro da Economia se Paulo Guedes, num surto de vergonha, fosse capaz de pedir demissão e voltar a fazer o que ele mais sabe: ganhar dinheiro e driblar o pagamento de impostos.

Campos Neto é ministro, tem quatro anos de mandato e uma autonomia que nenhum outro ministro tem. Está convencido de que Jair Bolsonaro como presidente da República só atrapalha a condução da política econômica. Quer distância dele.

Presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães acorda e dorme pensando em substituir Guedes. Está disposto a servir a Bolsonaro com a mesma fidelidade e devoção que serviu o general Eduardo Pazuello ao tempo de ministro da Saúde.

Corre por fora Rogério Marinho, ministro do Desenvolvimento Regional, o primeiro a peitar Guedes com a proposta de arrombar os cofres públicos para reeleger Bolsonaro. Marinho é candidato ao Senado no Rio Grande do Norte, seu estado.

Mas toparia o sacrifício porque o Brasil está acima de tudo e só abaixo de Deus.


Parceiro anunciante


Um comentário:

  1. O paulo Guedes já estar se preparando do vem pra ele e muita gente pela frente, Bolsonaro pregou o tempo todo que não tinha corrupção no governo dele,mais em 2023 vem recheado de muita surpresa e muito trabalho pra o setor da OAB .

    ResponderExcluir

Os comentários postados representam a opinião do leitor e não necessariamente do RSJ. Toda responsabilidade do comentário é do autor do mesmo. Colocar nome no comentário para que o mesmo seja liberado. Ofensas não serão permitidas.